Meu primo tirou minha virgindade.

Oi pessoal, me chamo Yasmim, sou libanesa, mas fui criada no Brasil. Hoje vou contar uma coisa que aconteceu na minha adolescência, meu primo tirou minha virgindade, mas eu forcei a barra.

Vim para o Brasil aos dois anos de idade, meu primo paterno, 20 anos mais velho, sempre foi muito bonzinho comigo. Me pegava no colo, passeava, dava presentes. Eu cresci muito agarrada a ele. Fui ficando maior, e cada vez mais apegada a ele, sempre que chegava, corria para abraça-lo beija-lo, adorava ficar no colinho dele desenhando, mas eu juro, sem maldade. Até certa idade, é claro.

Aos 11 anos, já tinha um corpinho bem desenvolvido. Hoje com 36 anos, tenho 1,80m, sempre tive cabelos longos, um corpo bem escultural, sou professora de dança do ventre.

Daí em diante comecei a sentir umas coisas diferentes quando sentava no colo dele. Roubava uns selinhos contra a vontade dele, que brigava comigo. Aos 12 já tinha maldade ao sentar em seu colo, dava umas reboladinhas, sentia que ele ficava com tesão, mas muito desconfortável. Até que um dia ele falou que eu não podia mais sentar em seu colo. Quase morri de tanto chorar, já estava me apaixonando por ele.

Quando estávamos na sala com mais pessoas, eu sentava no colo, sabia que não falaria nada na frente dos outros. Aproveitava para sarrar bastante, ele já ficava de pau duro para mim, minha bocetinha pela primeira vez começou a ficar molhadinha. Como queria meu primo dentro de mim.

Quando estava prestes há fazer 15 anos, não conseguia mais me segurar. Dei um beijo nele, tentei enfiar a língua em sua boca, que ficou muito nervoso, brigou comigo.

Chegaram meus 15 anos. Na festa, pedi que me encontrasse no jardim, pois precisa falar-lhe urgente.  Ele foi. Perguntei se eu poderia lhe pedir um presente de aniversário. Ele disse que sim, mas perguntou se eu não tinha gostado do que ele havia me dado. Falei que tinha gostado, mas queria um presente especial. Ele concordou. Então disse que na hora certa pediria. Dei um beijão nele, de língua, que correspondeu. Fiquei encantada. O resto da festa sentia que ele me comia com os olhos.

Os dias se passaram, liguei para ele e disse que meus pais viajariam o final de semana e eu ficaria com a empregada e uma tia. Pedi que ele me levasse para casa dele (ele morava sozinho, era separado), fizesse um almoço para mim que eu pediria o presente de aniversario.

Assim aconteceu, fui sábado pela manhã para o apartamento dele, onde faria meu almoço. Chegamos lá, ele mandou que ficasse a vontade enquanto ele adiantava a comida. Fui para o quarto, pedi para ligar a TV, tirei toda minha roupa, deite na sua cama e me cobri. Um pouco depois ele entrou no quarto e me viu deitada, coberta, minhas roupas na cadeira, calcinha, sutiã, saia e blusa. Arregalou os olhos:

– Yasmim, você está nua?

Eu ri.

– Veste uma roupa agora menina, está maluca?

Pegou um short e uma camiseta e me deu. Joguei para o lado.

– Eu não te disse que pediria para você meu presente hoje? Então, meu presente é que você me faça mulher, sua mulher, aqui na sua cama.

Ele não sabia o que fazer nem dizer. Me tremia toda, minha xaninha virgem piscava, e escorria melzinho direto.  Joguei o lençol para o lado, ficando completamente nua na frente dele. Chamei para me fazer mulher dele ali. Ele tentou me cobrir, mas tremia muito de nervoso. Ele cobria eu tirava. Numa dessas vezes puxei-o pelo braço, para cima da cama.

– Fica calmo, estamos sós. Eu sei que você me quer.

– Yasmim, você é uma criança, só tem 15 anos, é minha prima, não posso fazer isso.

– Não pode, ou não quer? Seja honesto com sua priminha.

– Não posso.

– Então quer.

– Quero, quero, quero muito. Quero você há muito tempo.

– Estou aqui, só sua, toda para você. Me faz ser sua mulher, não aguento mais. Sonho há anos com isso.

Ele me abraçou, pude sentir suas mãos nas minhas costas nuas. Ele começou a beijar meu pescoço. Não estava acreditando que finalmente seria sua mulher. Ajudei a tirar a blusa, seu peito suado encostado no meu, suas costas molhadas, segurei no seu pau por cima da bermuda e apertei. Ele estava com muito tesão. Tirei a sua bermuda, ele beijava meu pescoço, desceu sua boca até meus seios pequenos e durinhos e chupou muito, com tesão e carinho. Meus mamilos ficaram em pé.  Foi descendo sua boca quente pela minha barriga. Minha xaninha se preparava para receber a boca quente do meu priminho. Desaguava de tanto desejo. Molhei todo o lençol.

Quando senti sua boca quente no meu grelinho, gozei profundamente, me estremeci toda, gozei de novo em sua boca, que continuava a me devorar como uma fruta fresca. Experiente, começou a direcionar sua enorme pica para minha boca, até coloca-la dentro, me ensinado a chupar. Adorei, comecei devagar depois queria engolir tudo.  Gozava, gozava e gozava.

Quando ele sentiu que eu já estava pronta para entrar na vara e perder a virgindade, foi subindo seu corpo lentamente sobre o meu. Me beijou deliciosamente na boa. Já estava de pernas abertas com ele no meio. Senti sua enorme cabeça esfregar na minha entradinha. Eu estava fervendo, toda molhada, ele começou a forçar, fiquei com medo. Senti um pedaço da cabeça entrar, que loucura. Ele me beijava forte, dizia que eu era dele, e ia me comendo, aos poucos. Senti um pouco de dor, mas o tesão era indescritível.  Lembro exatamente o momento que ele tirou minha virgindade de vez, me abraçou forte, deu um suspiro e seu pau entrou todo na minha toda melada bocetinha.

Começou a me comer devagar, num entra e sai delicioso, foi aumentando o ritmo aos poucos. Pegou minhas pernas e colocou em volta de sua cintura. Abracei seu pescoço com toda força que tinha, já estava completamente dominada e preenchida.

Nosso suor ensopava o lençol, misturado com meu gozo que escorria de dentro de mim. Os gemidos eram maravilhosos. Não mudamos de posição, era o tempo todo ele socando em mim, me chamando de amor, vida querida. Que sonho.

De repente senti seu pau inchar, a cabeça ficou enorme dentro de mim, sentia as veias engrossarem. Ele me apertou como se fosse me partir ao meio. Deu um gemido forte, e senti um mar de porra quente me enchendo.  Eu gemia feito uma cadela. Gozava desesperadamente, uma atrás da outra. Ficamos ali abraçados um bom tempo. Quando ele saiu de mim, seu pau estava todo melado do nosso gozo e de meu sangue. Choramos muito de emoção por aquele momento. Ele me pegou no colo e fomos tomar um banho maravilhoso, com muito carinho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s