Filmei escondido minha mulher me traindo.

Meu nome é Gilvânio, tenho 47 anos, mulato e em boa forma física.

Sou casado com uma mulher bonita, Rogéria, 32 anos, loura, olhos verdes, seios fartos, bunda grande e durinha, 1,60, coxas bem definidas, com uma barriguinha, nada que a deixe menos gostosa, também depois de dois filhos.

A conheço desde novinha, menina do interior, muito séria, virgem quando casou comigo, boto a mão no fogo por ela. Porém,  gosta muito de sexo,  dois dias sem e ela fica subindo pelas paredes.

Acho que todo homem sente tesão em ser corno. Fico louco de imaginar outro homem metendo nela. Tentei falar sobre isso com ela, mas não quis nem ouvir.

Temos um amigo, João Carlos,  alto,  moreno,  forte, que as vezes a pego o admirando. Nada de escandaloso,  uma admiração normal, sem maldade, e ele a trata com muito respeito.

Um dia desses perguntei a ele se sentia tesão por ela, ele ficou sem graça,  desconfortável,  eu insisti,  disse que não tinha problema,  e ele falou que a achava atraente.

Falei de minha tara em ver outro comendo ela, e só confiava nele para isso, ele topou e falei que iria armar tudo.

Primeira coisa foi deixar ela uma semana sem sexo, ela já estava desesperada de tesão.

Preparei três câmeras na sala, em posições diferentes, por onde eu assistiria tudo em tempo real. Comprei um remédio para aumentar o tesão dela, e a dei sem que percebesse.

Combinei com meu amigo que fosse na minha casa usando uma bermuda de malha bem apertada, e uma camiseta curta, assim que eu saísse. Fingi que fui trabalhar e entrei em um cômodo nos fundos da casa onde o notebook já estava preparado para transmitir minha esposa sendo comida.

Ele bateu no portão,  perguntou por mim, disse que estava correndo por ali e pediu água,  ela mandou ele entrar,  foram para sala, no alcance das câmeras, eu já estava de pau duro.

Ela trouxe  a água e olhou pro pau dele que também estava muito duro. Ela disfarçava e olhava. Até que ele a abraçou,  ela o empurrou assustada, dizendo que era casada. Ele insistiu, o tesão dela e o remédio que dei fizeram ela ir cedendo.

Lutou um pouco,  mas foi relaxando, ele a beijou no pescoço,  no ouvido, na boca. Já estava certo  que meu sonho de ver outro comendo ela seria realizado .

Ele passou a mão na bunda dela, que a retirou. Ele colocou de novo, ela deixou. Começaram a se esfregar, ela as vezes tentava sair, mas não consegui.

Ele tirou a blusa dela e os melões pularam para fora,  foram apertados e depois chupados. Ela estava entregue.

Foram para o sofá, onde ele tirou a bermuda, depois o short e a calcinha dela, fiquei assustado com o tamanho do pau. Ela ia sofrer para engolir aquilo.

Ele chupava sua bocetinha e amassava seus suculentos melões, arrancando gemidos dela que gozava feito louca. Inverteram de posição, ele sentado e ela ajoelhada, colocando aquele mastro dentro de sua boquinha. Ela sugava como uma puta. Gozei feito um louco assistindo.

Ela foi colocada de novo no sofá de pernas abertas e a piricona foi entrando nela que se contorcia, gemia e gozava. O entra e sai era lento, ela apoiava os calcanhares na bunda dele o trazendo para dentro dela.

As socadas foram ficando cada vez mais fortes, tão fortes que sacudia o sofá, entre gemidos e balanços ele urrou feito um bicho e gozou forte dentro dela. Ele saiu do meio das pernas dela e deitou no chão, ela continuou de pernas abertas, dava para ver o mar de porra que saía de dentro da minha mulherzinha. Gozei de novo.

Depois de se refazer, ela deita no chão e beija o corpo dele, desde o pescoço até começar outro boquete guloso e molhado. O pau dele parecia ter ficado maior ainda. Ele chupava ela também, sugando a própria porra que escorria pelas pernas dela.

Ele a colocou de bruços na mesa, uma das câmeras dava um close no rosto lindo dela,  e uma das outras ficava bem na direção da bocetinha, era o melhor ângulo,  dei um zoom e vi cada centímetro de vara entrar nela, as expressões do rosto dela sendo comida era maravilhosa. Gozei pela terceira vez.

Depois de um tempo ela o empurrou para o sofá e montou de costa no colo dele cavalgando como uma louca, seus peitões balançavam ao ritmo da cavalgada. Depois de muito tempo ele a colocou de joelhos no tapete, e começou a comer o cuzinho dela.

Era a coisa mais deliciosa do mundo, a câmera pegava direto a vara entrando no cuzinho dela que ia se abrindo e tomando o formato do enorme cacete. Em pouco tempo ele bombava o rabo dela como um animal, amassava os tetões dela quase arrancado, ela gritava, gemia, gozava, eu quase esmaguei meu pau de tanto tesão. Em meio aquilo tudo ele encheu o rabo dela de porra quente. Tirou de dentro, e vendo que a câmera estava escondida, mas na direção, abriu com os dedos o cuzinho para que eu visse o estrago.

Deram mais uma foda ainda e ele foi embora. Deixei passar algum tempo e entrei em casa. Ela ficou nervosa ao me ver, disfarcei fingindo que não tinha acontecido nada.

Nunca falamos sobre isso. Meu amigo ficou indo comer minha mulher para que eu assistisse. Quando não podia ver em tempo real, gravava para ver depois. Ela ficava cada dia mais puta, me levando a loucura assistindo seus vídeos.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s