Um cachorro me fez de cadela

ninfeta-dando1

Meu nome é Cristiane tenho 42 anos, não me acho bonita, mas costumo chamar a atenção dos homens. Sou alta, branca, loira de olhos verde, seios volumosos, bunda grande e coxas grossas. Sou casada há 23 anos, e meu marido não anda ligando muito para mim.

Mas sou uma mulher recatada, que nunca o traí. Sinto falta de sexo, mas procuro de controlar.
Minha mãe já tem seus setenta anos e não anda bem de saúde. Vou sempre à casa dela ajudá-la com os afazeres. A casa dela é um pouco distante da minha, e não tem condução para ir, ou seja, tenho que caminhar quase meia hora. Nesse dia em questão, estava muito calor, um sol muito forte, cheguei completamente suada, e fui direto tomar um banho, lavei minha calcinha e coloquei para secar, ficando sem ele. Peguei um vestido de malha dela, que por ser bem mais baixa que eu ficou curto. Só tínhamos nós duas em casa, não tinha problema.
Fui varrer o quintal que é bem grande. Wolf, um dog alemão enorme mas muito dócil, toda hora vinha tentar enfiar o focinho entre minhas pernas. Parecia saber que estava sem calcinha. Toda hora o enxotava, brigava, mas voltava e eu o empurrava de novo, até sumir.
Continuei varrendo, cheguei a um ponto que corre uma água constantemente e criou um lodo. Acabei escorregando e caindo de joelhos. Tentei me levantar várias vezes inutilmente. Estava longe da parede para me apoiar, e a vassoura tinha caído longe com o tombo.
Resolvi andar de gatinho até sair daquele espaço com lodo, coloquei as mãos no chão ficando de quatro, sem calcinha com a bunda de fora. Senti um peso nas costas, era o Wolf tentando montar em mim. Fiquei desesperada. Comecei a gritar com ele, empurrar com o pé, bater, mas nada, ele se ajeitava cada vez mais. Comecei a chorar, desesperada.
Wolf envolveu suas patas dianteiras na minha cintura com força, jogou todo o seu peso em minhas costas e começou a bombar, como se estivesse fodendo. Chutava, empurrava, gritava e nada. Comecei a sentir sua pica bater em minha bunda e coxas. Me tremi toda. Eu, uma mulher séria, recatada que nunca traiu o marido, ia virar a cadela de um dog alemão.
Uma das estocadas me acertou em cheio, vi estrelas, senti a pica de wolf quase furar meu útero. Ele socava cada vez mais forte dentro de mim, uns jatos de porra quente começaram a me encher, o pau dele latejava e inchava. O medo e o desespero deram lugar a um tesão alucinado. Nunca senti aquilo. Cada socada fazia escorrer porra pelas minhas coxas. Ele latejava e crescia dentro de mim. Eu rebolava feito doida sendo comida por ele.
O nó foi crescendo para meu desespero, será que as histórias de mulheres engatadas com cães ere verdade? Era. Quando já não dava mais porra dentro da minha boceta, ele ficou parado, deitado nas minhas costas, passou a perna por cima e ficou de costa para mim. O nó todo dentro me fez ficar engatada nele. Sem ter como segura-lo, fui arrastada igual uma cadela pelo quintal. Quando o nó saiu fiquei completamente arrombada, caída na lama. Ele veio e me lambeu limpando toda aquela porra que jorrou.
Corri para o banheiro, tomei banho e fui ver minha mãe, que dormia pesado. Aquilo não saia da minha cabeça. Que horrível isso. Mas, nunca gozei tanto. Queria mais. Para não correr riscos, levei Wolf para um quartinho nos fundos, prendi-o pela coleira, forrei uma esteira e fiquei de quatro. Ele veio na hora. Montou na cadela dele e começou a bombar. Ia ser maravilhoso.
Fudeu. Ele acertou direto no meu cu, que eu não dava a muito tempo, não gostava. Vi estrelas. Não consegui tirar. Ele jorrava rios de porra quente dentro de mim. Fiquei mais uma vez engatada com ele, desta vez pelo rabo. Uma dor misturada com prazer. Aquele cacetão pulsando e crescendo dentro da minha bunda. Comecei a me masturbar. O gozo era incrível, um atrás do outro. Quando o nó saiu, quase desmaiei, de dor, medo e prazer. Ele me limpou toda com sua língua gostosa.
Queria mais. Queria dentro da boceta. Então, ao me recuperar, fiquei novamente de quatro mas espertamente, coloquei a mão entre as pernas, segurei na rola de Wolf e encaminhei para dentro de minha buceta arrombada e toda melada por ele.
Foi uma loucura. Hoje, não me importo se meu marido me procura ou não. Tenho o meu macho e sou a cadela dele.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s